terça-feira, 31 de agosto de 2010

Para evitar indisposição com o PSB, Dilma Rousseff decide ‘excluir’ a Paraíba da rota de campanha e deixa responsabilidade para Lula

A candidata à Presidência da República Dilma Rousseff (PT), vai excluir a Paraíba do roteiro de visitas durante esta campanha eleitoral. A informação foi publicada na edição desta terça-feira do jornal Correio Braziliense.

Líder das pesquisas, a candidata petista deve abrir mão de pelo menos 14 milhões de votos, distribuídos na Paraíba e em mais oito estados, para não se envolver nas campanhas estaduais onde a disputa está complicada

Segundo o Correio Braziliense, a Paraíba será excluída para evitar indisposição com o PSB, que lançou Ricardo Coutinho como candidato ao Governo do Estado. Desta forma, a petista deixou apenas para o presidente a responsabilidade de aparecer ou não nos guias dos candidatos da Paraíba.

Os motivos para Dilma deixar de se apresentar ao vivo em alguns estados são os mais variados. Em Alagoas, ninguém quer dar à oposição a chance de dizer que Dilma está ao lado de Fernando Collor (PTB), candidato a governador. Figura polêmica, o senador, rival de Lula em 1989 que aderiu ao lulismo em 2007, foi defenestrado da Presidência e guarda capital político restrito ao estado. Fora de Alagoas, uma imagem associada à outra teria potencial explosivo e poderia significar perda de votos. No último levantamento do Ibope, Collor aparece com 28% das intenções de voto. O ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) tem 29%.

A ideia da coordenação é concentrar as viagens em estados onde a presença da candidata ajuda a virar votos em seu favor e não onde ela já tem maioria. Por isso, na listagem dos petistas estão, principalmente, São Paulo e o sul do país, além da viagem desta semana a Foz do Iguaçu (PR) e Canoas (RS), em que está prevista a presença de Lula. Estão marcadas ainda uma passagem por Santa Catarina e pelo Rio Grande do Sul. 

Couto ganha batalha no TRE e terá guia sem Maranhão


Após muita polêmica e confusão, o deputado federal Luiz Couto (PT) conseguiu uma liminar para que o seu programa no guia eleitoral vá ao ar sem a imagem do candidato a governador, José Maranhão (PMDB), e do seu vice Rodrigo Soares (PT).
O petista entrou com ações junto ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) contestando o fato da Coligação que integra ter inserido em seu programa, sem autorização, imagem do peemedebista. Couto fez um acordo com o Diretório do PT para o guia ir ao ar em um cenário neutro, mas isso não foi respeitado.
O juiz Eduardo José de Carvalho Soares concedeu o pedido de liminar e determinou que o material produzido por Couto seja levado ao ar sem alterações. Em caso de descumprimento, o juiz sentencia uma multa diária de R$ 1 mil. A decisão foi notificada à coligação e também às emissoras geradoras do guia eleitoral.
O candidato a deputado federal Luiz Couto denunciou, no último dia 17, no seu twitter, que o seu programa para o guia eleitoral foi censurado pela direção do PT na Paraíba e que por isso não foi ao ar no rádio e na TV. De acordo com a assessoria do parlamentar, o motivo para terem barrado o guia do petista foi apenas por ele não ter feito a propaganda com o cenário do candidato à reeleição.
PolíticaPB

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Feliz Aniversário a meu Filho Jonas Silva

Hoje meu filho é um dia que você completa mais um ano de vida e eu quero lhe dizer que mesmo antes de você nascer eu já te amava.

Quando você nasceu foi uma alegria imensa tanto pra mim como para todos que o rodeavam.

Você foi crescendo dando os primeiros passos e eu estava ali pra lhe segurar pelas mãos para que você não caísse.

O tempo foi passando e a cada dia você com o seu jeito meigo e carinhoso foi conquistando o coração de cada um que te cercava, hoje você já esta bastante crescido e a cada dia mais bonito.

Quero lhe desejar neste dia tão especial meu carinho e o meu amor por você, e se você precisar de mim pode contar comigo meu  filho.

Ame-se seja gentil consigo e aprenda a ter a paciência com suas próprias limitações.

Tudo que eu te desejo neste dia é um feliz aniversário meu filho.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Petistas ligados a Luiz Couto anunciam apoio a candidatura de Cássio ao Senado Federal

Após descumprimento do acordo feito entre o deputado federal Luiz Couto e a direção estadual do PT, alguns assessores estiveram reunidos com o ex-governador e candidato ao Senado Federal, Cássio Cunha Lima (PSDB), e na ocasião, para surpresa de muitos petistas, anunciaram apoio a candidatura tucana nas eleições deste ano.
Os assessores e partidários de Couto, assim como ele, também não seguem orientação partidária para apoiar a candidatura do peemedebista José Maranhão rumo ao Palácio da Redenção.  Entre os assessores estão figuras conhecidas como Jackson Macedo (vice-presidente do PT de João Pessoa), Zizo Mamede (ex-prefeito de Serra Branca), Milton Ferreira (dirigente estadual), Zezé Bechade (assessora de imprensa) e ainda o presidente do PT de João Pessoa, professor Antônio Barbosa.
As brigas internas se agravaram após a proibição da exibição do guia de Luiz Couto sem as imagens de José Maranhão. Depois de um acordo ficou acertado que o guia do petista iria ao ar com imagens em locais públicos, mas que não fariam referência a chapa majoritária da Coligação “Paraíba Unida”. O PT não cumpriu o acordo e colocou no guia do padre a imagem de Maranhão, Dilma e Rodrigo Soares.
PolíticaPB com informações do Blog de Luis Tôrres

Couto é vítima da autofagia do PT

Quando lá na frente se for escrever a história do PT na Paraíba, um longo e inacreditável capítulo haverá de ser dedicado à estranha capacidade de autofagia política inerente a alguns de seus integrantes.
         Desde 1980 até hoje, os exemplos são incontáveis. Ricardo Coutinho, Cozete Barbosa, Avenzoar Arruda, Luciano Cartaxo e, por último, Luiz Couto, estão aí para não nos deixar mentir.
         Ricardo talvez tenha sido a vítima mais notável desta autofagia petista. Tão logo consolidou o seu prestígio eleitoral junto às camadas mais progressistas de João Pessoa, o hoje candidato a governador passou a enfrentar um processo de patrulhamento interno do PT. Quanto mais fortalecia a sua relação com o eleitorado, mais dificuldades encontrava, internamente, para confirmar-se como líder emergente.
         O resto da história se sabe: Ricardo teve de se abrigar sob outra legenda, o PSB de hoje. Suas relações com os petistas locais só melhoraram quando se elegeu, folgadamente, prefeito de João Pessoa em 2004.
         O caso de Cozete Barbosa também é emblemático. Alçada à condição de prefeita de Campina Grande, a segunda maior cidade do estado, ela nunca contou, efetivamente, com o apoio integral do PT. Até na Câmara Municipal daquela cidade, o único vereador petista cuidou logo de se distanciar da sua administração.
         Na sequência, Cozete cometeu erros e mais erros, mas isso não vem ao caso. Ocupando na época o cargo político mais importante para o partido em todo o estado, ela só contou com o apoio de uma pequena ala da legenda. Por todos os outros, foi desprezada, abandonada e entregue à sua própria sorte.
         Avenzoar Arruda foi eleito deputado federal, o primeiro do PT paraibano. Mas isso não significou muita coisa para impedir que também se visse às voltas com esta autofagia partidária. Disputou até o governo do estado, mas nunca teve o apoio de todas as tendências do PT. Lutou como pôde e teve um desempenho eleitoral pra lá de razoável. Era uma liderança que ainda hoje poderia estar prestando relevantes serviços ao partido, mas, no limite de sua paciência, resolveu partir para outra.
         O atual vice-governador do estado Luciano Cartaxo tinha  todos os predicados para figurar na chapa que hoje disputa o governo do Estado. Tinha sido líder de Ricardo Coutinho na Câmara Municipal, mas aceitara, em 2006, a indicação para a vice. Seu nome foi aos poucos sendo queimado, relegado a segundo plano e, finalmente, afastado do páreo. Percebeu em tempo a trama de que estava sendo vítima e cuidou logo de se garantir como candidato a deputado estadual.
         O caso agora é com o deputado federal Luiz Couto. Parlamentar de atuação brilhante na Câmara dos Deputados, reconhecido até internacionalmente pelo trabalho que faz contra o crime organizado e contra os assassinatos na zona rural do Nordeste, Couto não está merecendo do partido sequer o direito de participar do Guia Eleitoral.
         O argumento é ridículo: Couto não pôde fazer sua propaganda porque não aceita pedir votos para o candidato José Maranhão. E como poderia? Maranhão trabalhou o tempo todo, com todas as forças da máquina, para retirá-lo da presidência do PT. E conseguiu. Poderia ele agora apresentar-se ao eleitor pedindo votos para o seu algoz na luta partidária?
         Nada disso, porém, há de retirar do parlamentar o reconhecimento que ele ostenta junto a entidades locais, nacionais e internacionais, como um dos mais atuantes congressistas do Brasil.

 


    Se o PT da Paraíba não entende isso, é porque, lamentavelmente, ainda não conseguiu se livrar desta freudiana autofagia que, de tempos em tempos, se encarrega de afastar da legenda aqueles que, ao longo da história, mais trabalharam por ela.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dilma abre vantagem e já lidera em SP, RS e PR

Pesquisa do Datafolha divulgada hoje mostra uma ampliação da vantagem de Dilma Rousseff e uma consolidação do cenário de uma vitória já no primeiro turno. Em relação ao levantamento do último dia 20, a candidata abriu 20 pontos percentuais de frente e passou de 47% para 49% das intenções de voto. José Serra (PSDB) caiu de 30% para 29%, e Marina Silva (PV) ficou estável em 9%.
Contando os votos válidos, Dilma tem 55% e venceria a eleição no dia 3 de outubro. Os eleitores que ainda não sabem em quem votar ou não responderam permanecem em 8%, e os votos brancos e nulos, em 4%. Encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela Rede Globo, a pesquisa tem margem de erro dois 2 pontos percentuais e foi feita nos dias 23 e 24, com 10.948 entrevistas em todo o país.
Liderança em SP e RS
Uma das grandes novidades foi a virada de Dilma em redutos eleitorais da oposição, como os estados de São Paulo e do Rio Grande do Sul. "Em São Paulo, Estado governado por Serra até abril e por tucanos há 16 anos, Dilma saiu de 34% na semana passada e está com 41% agora. O ex-governador caiu de 41% para 36%. Na capital paulista, governada por Gilberto Kassab (DEM), aliado de Serra, ela tem 41% e ele, 35%", diz reportagem da Folha de S. Paulo.
As constantes visitas aos gaúchos também renderam bons resultados a Dilma. Enquanto ela subiu de 35% para 43% no Rio Grande do Sul, o tucano José Serra caiu de 43% para 39%. "Quando se observam regiões do país, a candidata do PT lidera em todas, inclusive no Sul. Na semana passada, ela estava tecnicamente empatada com Serra, mas numericamente atrás: tinha 38% contra 40% do tucano", afirma a Folha de S. Paulo.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pesquisa CNT/Sensus aponta vitória de Dilma no 1º turno com 55,3% dos votos válidos

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira mostra vitória da candidata Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno na disputa pela Presidência da República. A candidata do PT recebeu 46% das intenções de votos na pesquisa estimulada, contra 28,1% para José Serra (PSDB) e 8,1% para Marina Silva (PV). A petista somou 55,3% dos votos válidos.
A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Os demais candidatos, incluindo Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), não atingiram 1% das intenções de votos. Os indecisos e votos nulos/brancos somam 16,8%.
Na pesquisa espontânea, em que a lista de candidatos não é apresentada aos eleitores, Dilma também aparece em primeiro lugar com 37,2% das intenções de votos. Ela é seguida por Serra, com 21,2% e Marina Silva, com 6%. Os demais candidatos também não somaram 1% dos votos.
Num eventual segundo turno, Dilma venceria com 52,9% contra 34% de Serra. Nulos, brancos e indecisos somariam 13,2%.
A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 20 e 22 de agosto, com duas mil entrevistas em 136 municípios. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 24.903/2010.
Pesquisa Datafolha divulgada no último sábado também mostrou vitória de Dilma no primeiro turno, com 47%, contra 30% de Serra. No levantamento anterior, feito entre os dias 9 e 12, a petista estava com 41% contra 33% do tucano.
POR REGIÃO
A pesquisa CNT/Sensus mostra que Dilma venceria em todas as regiões do país, com exceção do Sul --onde Serra atingiu 47,8% dos votos e a candidata do PT, 35,7%. Marina recebeu 6,9% dos votos no Sul e os indecisos, brancos e nulos somam 9,3% na região.
A maior vantagem da petista está no Nordeste, onde atingiu 62,1% das intenções de voto. Serra obteve na região 19,8% e Marina, 6,4%. Os demais votos somam 11,1%.
No Sudeste, onde o tucano chegou a ser líder no início da corrida eleitoral, Dilma virou o jogo. Serra registrou 27,6% dos votos contra 39,2% alcançados por Dilma. Marina atingiu 9,7% dos votos no Sudeste, e os demais votos somam 21,8%.
Nas regiões Norte e Centro-Oeste, Dilma lidera com 45% dos votos. Serra registrou na região 25,5% e Marina, 7,6%. Os indecisos, brancos e nulos chegam a 20,5%.
POR GÊNERO
Dilma também ganha a disputa entre o eleitorado feminino e masculino, segundo a CNT/Sensus. A petista recebeu 49,4% dos votos dos homens e 42,9% das mulheres. Serra, por sua vez, obteve 27,4% dos votos do eleitorado feminino e 28,7% do masculino. Marina Silva recebeu 7,6% dos votos entre os homens e 8,4% entre as mulheres.
Na última edição da pesquisa CNT/Sensus, divulgada dia 5 de agosto, Dilma apareceu 10 pontos percentuais à frente de Serra. Na ocasião, a petista a petista recebeu 41,6% das intenções de voto, enquanto o tucano ficou com 31,6%. Marina Silva (PV) apareceu em terceiro lugar, com 8,5% dos votos, enquanto Zé Maria (PSTU) tem 1,9% e Plínio Arruda (PSOL),1,7%. Outros candidatos mencionados na pesquisa não registraram 1% dos votos.
Da Folha Online

Pesquisas mostram queda de Maranhão e crescimento de RC

O Paraíba Já resolveu confrontar os números divulgados nesta segunda-feira (23) pelo Instituto Índice com os divulgados pelo Instituto Diário Data Associados, no último dia 15, e constatou uma queda de 13,9% das intenções de votos do governador José Maranhão, candidato à reeleição pelo governador.

No primeiro levantamento, que foi feito entre os dias 8 e 12 deste mês pelo Instituto Diário Data Associados, o candidato do PMDB apareceu com 58% da preferência do eleitorado. Na segunda pesquisa, realizada nos dias 14 e 15 pelo Instituto Índice, Maranhão caiu para 44,1%

No confronto dos números entre as duas pesquisas, o ex-prefeito de João Pessoa e candidato a governador pelo PSB, Ricardo Coutinho, mostra um crescimento 5,7%. Na primeira, ele apareceu com 26% das intenções de votos e, na segunda, com 31,7%.

A diferença da vantagem do governador José Maranhão sobre o ex-prefeito Ricardo Coutinho caiu, em pouco menos de uma semana, de 32% para apenas 12,4%. As duas pesquisas, no entanto, não aferiram o impacto no eleitorado paraibano sobre a participação dos dois candidatos no debate promovido pela TV Clube/Band, que foi realizado no último dia 19.

Sobre as pesquisas
A pesquisa feita pelo Instituto Diário Data Associados foi publicada no dia 15 deste mês nos jornais O Norte e Diários Associados. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança da amostra é de 95%. Ao todo, foram ouvidas 1.100 pessoas nas quatro mesorregiões do estado (Mata, Agreste, Litoral e Sertão).

A pesquisa do Instituto Índice foi contratada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Paraíba (FCDL-PB) e registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) sob o protocolo número 25514/2010. Foram ouvidos 1.080 eleitores, distribuídos em 60 municípios. O intervalo de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

"O povo não é ingênuo", diz Dilma sobre uso de Lula em programa

A candidata do PT a presidência da República, Dilma Rousseff, disse neste domingo, em Brasília, que o PSDB, ao usar imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em suas propagandas eleitorais supõe uma “ingenuidade absurda do povo”. Para ela, o “povo não vai ser ingênuo” e saberá diferenciar quem é apoiado por Lula.
“Quem usa a imagem tem uma visão elitista, acham que o povo acredita que quem foi contra o governo por oito anos e incentivou a teoria do medo, que critica de manhã e de tarde, que disse que é contra tudo do governo, e a noite usa o presidente Lula... Pelo amor de Deus, eu não acredito que o povo seja ingênuo”, disse.
A candidata não confirmou se Lula irá entrar com ações na Justiça contra o uso de sua imagem na propaganda tucana. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), somente ele tem tal direito. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, contudo, disse que o partido vai recorrer ao plenário do TSE contra tal entendimento, e espera que a representação ajuizada pelo partido tenha sucesso.

Luiz Couto e a pequenez da cúpula do PT paraibano

Censura é o uso pelo estado ou grupo de poder, no sentido de controlar e impedir a liberdade de expressão. A censura criminaliza certas ações de comunicação, ou até a tentativa de exercer essa comunicação. No sentido moderno, a censura consiste em qualquer tentativa de suprir informação, opiniões e até formas de expressão, como certas facetas da arte.

É exatamente esse tipo de censura que a cúpula do PT da Paraíba está impondo, casuisticamente, ao deputado federal Luiz Couto, ao impedir a sua participação no Guia Eleitoral, pelo simples fato de não querer aparecer diante de um cenário pago pelo PMDB, que tem como pano de fundo, em destaque, a presença do governador/candidato Zé Maranhão, em quem o deputado não vota e nem apoia.

Esse tipo de comportamento da cúpula do PT na Paraíba, que tem à frente o deputado estadual Rodrigo Soares, não somente causa perplexidade, como também, provoca indignação junto a todos aqueles que defendem à democracia em toda a sua plenitude.

Impedir, propositadamente, que um deputado federal da expressão de Luiz Couto, fale aos paraibanos, no Guia Eleitoral do seu próprio Partido, é um tipo de censura com ingrediente de represália, que causa nojo e repugnância ao mais neófito dos democratas.

Ao adotar essa atitude mesquinha e reprovável, o Comando Estadual do PT, assume o risco de ser comparado aos cruéis censores da época da ditadura militar; de ser comparado com aqueles que impediam uma imprensa livre, uma universidade aberta, que torturavam e que cassavam o direito da livre manifestação do pensamente.

A pequenez da cúpula do PT paraibano, nesse momento, em que se pretende eleger como presidente da República, Dilma Rousseff, uma ex-presa política e uma das vítimas mais notória da ditadura, provoca uma sensação de que essa “turma”, lá no âmago, aprova esse tipo de comportamento obscuro e esquece que o uso cotidiano da censura promove um movimento de defesa bastante corrosivo que é a auto-censura.

Impedir Luiz Couto de manifestar o seu pensamento, as suas opiniões e de prestar contas do seu mandato aos paraibanos, além de ser uma atitude impensada e arbitrária, tem apenas o objetivo de evitar que o povo julgue um dos seus mais altivo e digno  representante. É corroer a vontade popular em favor de interesses subalternos e individuais.

A cúpula do PT paraibano, principalmente, o deputado Rodrigo Soares, que preside a legenda no Estado, caso não reveja essa sua mesquinha atitude, poderá, num futuro próximo, pagar por esse lamentável erro. Um Partido como o PT que tem uma história digna de todos os encômios, não pode agir sob a égide da censura e não pode passar para as novas gerações exemplos reprováveis, contraditórias e indignos de serem seguidos.

Deixa Luiz Couto falar! O povo quer lhe ouvir, ele tem o que dizer, ao contrário de outros, que vivem debaixo das asas do poder, se locupletando e angariando apoios em troca de cargos e de promessas falsas e vazias.

Deixa Luiz Couto se comunicar com o seu cativo eleitorado, a Paraíba precisa ouvir àquele que nunca lhe envergonhou. Aquele que tem exemplos dignos de serem seguidos, notadamente, nesse momento de incoerência e de carência de homens probos e sensatos.

E tem mais: sem Luis Couto o PT paraibano fica bem menor!

 

Jornalista Chico Pinto

sábado, 21 de agosto de 2010

Dilma abre 17 pontos sobre Serra e venceria no 1º turno, aponta Datafolha

Na primeira pesquisa Datafolha depois do início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, a candidata a presidente Dilma Rousseff (PT) dobrou sua vantagem sobre seu principal adversário, José Serra (PSDB), e seria eleita no primeiro turno se a eleição fosse hoje.
Segundo pesquisa Datafolha realizada ontem em todo o país, com 2.727 entrevistas, Dilma tem 47%, contra 30% de Serra. No levantamento anterior, feito entre os dias 9 e 12, a petista estava com 41% contra 33% do tucano. 
A diferença de 8 pontos subiu para 17 pontos. Marina Silva (PV) oscilou negativamente um ponto e está com 9%. A margem de erro máxima do levantamento é de dois pontos percentuais.
Os outros candidatos não pontuaram. Os que votam em branco, nulo ou nenhum são 4% e os indecisos, 8%.
Nos votos válidos (em que são distribuídos proporcionalmente os dos indecisos entre os candidatos e desconsiderados brancos e nulos), Dilma vai a 54%. Ou seja, teria acima de 50% e ganharia a disputa em 3 de outubro.
Os que viram o horário eleitoral alguma vez desde que começou, na terça-feira, são 34%. Entre os que assistiram a propaganda, Dilma tem 53% e Serra, 29%.
Nos primeiros programas, Dilma apostou na associação com Lula, que tem 77% de aprovação, segundo o último Datafolha.
A petista cresceu ou oscilou positivamente em todos os segmentos, exceto entre os de maior renda (acima de dez salários mínimos).
Dilma tinha 28% de intenção de voto entre os mais ricos e manteve esse percentual. Mas sua distância para Serra caiu porque o tucano recuou de 44% para 41% nesse grupo, que representa apenas 5% do eleitorado.
MULHERES E SUL
Já entre as mulheres, Dilma lidera pela primeira vez. Na semana anterior, havia empate entre ela e Serra, em 35%. Agora, a petista abriu 12 pontos de frente nesse grupo: 43% contra 31% de Serra.
Marina tinha 11% e está com 10% entre as mulheres. A verde continua estável desde março no Datafolha. Tem mostrado alguma reação só entre os mais ricos, faixa em que tinha 14% há um mês, foi a 17% e agora atingiu 20%.
A liderança de Dilma no eleitorado masculino é maior do que entre o feminino: tem 52% contra 30% de Serra. A candidata do PV tem 8%.
Outro número bom para Dilma é o empate técnico no Sul. Ela chegou a 38% contra 40% de Serra. Há um mês, ele vencia por 45% a 32%.
Serra não lidera de forma isolada em nenhuma região. No Sudeste, perde de 42% a 33%. No Norte/Centro-Oeste, Dilma tem 50%, e ele, 27%.
No Nordeste a petista teve uma alta de 11 pontos e foi a 60% contra 22% do tucano.
Houve também um distanciamento de Dilma na disputa de um eventual segundo turno. Se a eleição fosse hoje, ela teria 53% contra 39% de Serra. Há uma semana, ela tinha 49% e ele, 41%.
Na pesquisa espontânea, em que eleitores declaram voto sem ver lista de candidatos, Dilma foi de 26% para 31%. Serra foi de 16% a 17%.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Samba do crioulo doido; Candidatos em 2010 que mais mudaram de lado ao longo de suas trajetórias políticas

Ao longo da história da política paraibana são muitos os candidatos que já mudaram de lado. Pessoas que apoiavam um político e que por conveniência mudaram drasticamente suas convicções. Assim, o portal Paraíba1 fez um levantamento sobre quem são os detentores de cargos eletivos que são novamente candidatos em 2010 que mais mudaram de lado ao longo de suas trajetórias políticas.
Foram listados aqueles que já mudaram mais de uma vez. Que eram de um grupo, passaram para outro e depois voltaram para onde estavam. Ou então que passaram a apoiar um terceiro grupo.
Ficaram de fora da lista, portanto, alguns casos emblemáticos da política paraibana, que mesmo assim valem ser citados. Como o caso do deputado federal Manoel Júnior (PMDB), que em 2004 foi eleito vice-prefeito de Ricardo Coutinho (PSB), mas que hoje é adversário do socialista. E como o caso da deputada estadual Nadja Palitot (PSL), responsável por dar legenda a Ricardo no PSB quando este se desfiliou do PT e que atualmente é uma das mais ferozes críticas do ex-prefeito.
Os próprios candidatos ao Governo da Paraíba têm casos curiosos. Ricardo Coutinho no passado já foi um crítico feroz tanto de Maranhão como do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB). Mas foi eleito prefeito em 2004 com o apoio de Maranhão e em 2010 disputa o Governo contra Maranhão com o apoio de Cássio.
O peemedebista, por outro lado, já foi candidato a vice-governador na mesma chapa em que tinha Ronaldo Cunha Lima (PSDB) como candidato a senador e na época foi opositor do casal Wilson e Lúcia Braga, que hoje são aliados de Maranhão. Ele também já foi aliado de Ricardo Coutinho, hoje seu principal adversário.
A seguir, os principais vira-casaca da política paraibana:
Aguinaldo Ribeiro e Daniela Ribeiro (PP) – candidatos respectivamente a deputado federal e deputada estadual - Adversários históricos da família Cunha Lima em Campina Grande, eles aderiram ao ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) na campanha de 2004 à Prefeitura campinense. Defendiam a candidatura de Ricardo Coutinho (PSB) ao Governo da Paraíba, mas no último momento aderiram ao governador José Maranhão (PMDB).
Nivaldo Manoel (PMDB) – candidato a deputado estadual - Foi aliado de Cássio Cunha Lima (PSDB) quando este era governador da Paraíba, mas foi um dos primeiros parlamentares à aderirem ao governador José Maranhão (PMDB) quando este chegou ao poder em fevereiro de 2009. Chamou a atenção a frase que o parlamentar usou para justificar a mudança: “Não sei viver longe de quem governa”.
Pedro Medeiros (PSDB) – candidato a deputado estadual - Com mais de 20 anos de atuação parlamentar, sempre esteve ao lado de quem governa. Nos últimos dez anos, foi da base aliada de José Maranhão e de Roberto Paulino (ambos do PMDB) e depois de Cássio Cunha Lima (PSDB). Depois da cassação de Cássio permaneceu na oposição, já que era suplente, mas quando voltou à condição de titular do mandato após a renúncia do então deputado Arthur Cunha Lima, migrou rapidamente para Maranhão.
Armando Abílio (PTB) – candidato a deputado federal - O parlamentar era em 2006 aliado do então governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do senador Cícero Lucena (ambos do PSDB). Rompeu com Cícero e ainda em 2007 foi um dos primeiros políticos paraibanos a defender uma aliança de Cássio com o então prefeito pessoense Ricardo Coutinho (PSB). Depois, rompeu com Ricardo e passou a apoiar a candidatura do governador José Maranhão (PMDB) ao Governo. Por mais contraditório que possa parecer, promete votar em Maranhão e em Cássio agora em 2010.
Damião Feliciano (PDT) – candidato a deputado federal - Nas eleições de 1998 apoiou o governador José Maranhão e foi seu aliado durante sua gestão. “Agradeço minha vitória a Deus e a Maranhão”, disse na época. Perdeu as eleições de 2002, mas assumiu a secretaria de Ciência e Tecnologia do Governo Cássio. Eleito deputado federal em 2006, permaneceu na base aliada de Cássio, mas por várias vezes ameaçou aderir a Maranhão após a cassação do tucano. Acabou no prazo limite declarando voto ao ex-prefeito Ricardo Coutinho (PMDB) ao Governo da Paraíba.
Marcondes Gadelha (PSC) – candidato a suplente de senador - O deputado federal foi eleito em 1998 na base aliada do governador José Maranhão (PMDB). Em 2002 perdeu as eleições, mas assumiu o mandato na condição de suplente graças à intervenção do recém-eleito Cássio Cunha Lima (PSDB), a quem passou a apoiar. Com a morte do deputado Adauto Pereira ele reassumiu a titularidade do mandato e imediatamente voltou à apoiar Maranhão.
Wellington Roberto (PR) – candidato a deputado federal - Era suplente do então senador Humberto Lucena (PMDB) e assumiu a titularidade do mandato com a morte do ex-presidente do Congresso Nacional. Foi eleito deputado federal em 2002 e foi durante muito tempo aliado do governador Cássio Cunha Lima (PSDB). Com a cassação do tucano, migrou rapidamente para a basa aliada de Maranhão.
Wilson Braga (PMDB) – candidato a deputado estadual - Ex-governador da Paraíba e ex-prefeito de João Pessoa, Wilson era um dos mais contundentes adversários da família Cunha Lima. Foi derrotado por Ronaldo Cunha Lima na disputa para o Governo da Paraíba em 1990 e apoiou a esposa Lúcia Braga na disputa ao Governo em 1994, quando Antônio Mariz foi eleito (o vice de Mariz na época era José Maranhão). Em 2002, contudo, disputou vaga no Senado Federal na chapa de Cássio Cunha Lima (PSDB), mas após ser derrotado acusou Cássio e Efraim Morais (DEM) de traição e aderiu a Maranhão (PMDB).
Tavinho Santos (PTB)candidato a suplente de senador - O vereador era aliado de Cássio Cunha Lima e do então prefeito Cícero Lucena, de quem inclusive foi secretário municipal. Votou em Ruy Carneiro (PSDB) para prefeito de João Pessoa em 2004, mas rapidamente passou para a base de apoio do vitorioso na disputa, Ricardo Coutinho (PSB). Chegou a defender a aliança entre Ricardo e Cássio para o pleito de 2010, mas após ser derrotado nas urnas em 2008 passou a defender a cassação do tucano, já que seria beneficiado com a ida do então vereador Luciano Cartaxo (PT) para a vice-governadoria. Foi líder de Ricardo na Câmara de João Pessoa até pouco tempo antes de aderir a Maranhão.
Postado por: Phelipe Caldas

PT vai processar PSDB por uso de imagem de Lula

O PT anunciou que irá entrar com uma representação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra o PSDB pela utilização de imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no programa do candidato ao Planalto José Serra (PSDB).
O artigo 54 da Lei Eleitoral (9.504) proíbe a aparição, nos programas de rádio e TV, de pessoas filiadas "a outra agremiação partidária ou a partido integrante de outra coligação". 
O programa da coligação que busca eleger José Serra mostrou o candidato ao lado do presidente em três quadros, na abertura da propaganda eleitoral. O texto dizia "Serra e Lula, dois homens de história, dois líderes experientes".
O presidente do PT, José Eduardo Dutra, confirmou a representação.
"De dia o Serra esculhamba o governo, o PT e os petistas. De noite bota o Lula no seu programa. Na minha terra o nome disso é... deixa pra lá", ironizou Dutra pelo Twitter.
No programa televisivo desta noite, Serra apareceu ao lado de Lula. Enquanto a imagem era exibida, a voz do locutor disse: "Serra, a vivência que a Dilma não tem".
A narração também ressaltou Serra e Lula como "dois homens de história, dois líderes experientes".
Não foi a primeira menção da campanha do PSDB ao presidente Lula. Em programa anterior, jingle tucano vendia a seguinte ideia: "Quando o Lula da Silva sair, é o Zé que eu quero lá".
Depois de exaltar sua eficiência nos projetos de genéricos e combate à Aids, Serra pôs os holofotes no problema das drogas, especialmente o crack --"que mata mais do que câncer", segundo depoimento de um médico na propaganda eleitoral. O tema protagonizou o programa tucano nesta quinta-feira.

Agências da Previdência são implantadas com emendas de Luiz Couto

Levantamento realizado junto ao Ministério da Previdência Social afirma que todas as agências da Previdência Social que estão sendo construídas no Estado da Paraíba, com exceção da instalada no município de Pedras de Fogo, foram viabilizadas através de emenda apresentada pelo deputado federal Luiz Couto (PT/PB). Quem afirmou foi o secretário executivo do Ministério, Guilherme Aragonez, durante audiência na sede do órgão, em Brasília, nesta quarta-feira (18).

 Através de emenda de bancada Luiz Couto conseguiu aprovar R$ 10 milhões para a construção de agências da Previdência Social em vários municípios da Paraíba, entre eles Alagoa Grande, Bananeiras, Mari, São Bento, Queimadas, Mamanguape, Areia e Picuí. A intenção do deputado é interiorizar o atendimento da Previdência Social para facilitar o acesso das pessoas que moram distantes dos grandes centros.

“Todos os recursos investidos na construção dessas agências são exclusivos de verba orçamentária do Governo Federal”, afirmou Luiz Couto, rebatendo declarações contrárias espalhadas pelo interior do Estado.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Vox Populi mostra Dilma 16 pontos à frente do tucano José Serra

A candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, venceria no primeiro turno se a eleição fosse hoje, de acordo com a pesquisa Vox Populi/Band/iG divulgada nesta terça-feira.
Dilma teria 45% das intenções de voto, contra 29% do presidenciável tucano, José Serra, e 8% da candidata do PV, Marina Silva. Para vencer a disputa no primeiro turno, a quantidade de votos válidos contabilizados por um determinado candidato deve ser superior à soma dos votos obtidos pelos demais concorrentes.
Os demais candidatos não atingiram 1% das intenções de voto, 5% declararam voto branco ou nulo e outros 12% se disseram indecisos. A pesquisa estimulada, que mostra os nomes dos candidatos para os entrevistados, foi feita entre os dias 7 e 10 de agosto, após o primeiro debate entre os presidenciáveis, realizado pela Band no dia 5 de agosto.
O melhor desempenho de Dilma é na região Nordeste, e o pior é na região Sudeste. Em Pernambuco, ela teria 66% dos votos, contra 19% de Serra. Já o tucano tem seu melhor desempenho na região Sul e, o pior, no Nordeste. Em São Paulo, Estado que governou até abril, Serra teria 40% dos votos, contra 33% da petista.
O instituto entrevistou 3 mil pessoas em 219 municípios de todos os Estados, do Distrito Federal e excluindo Roraima. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 22.956/10. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos.
Dilma também aparece na frente na pesquisa espontânea, com 32% das intenções de voto, ainda segundo a Vox Populi/Band/iG. José Serra aparece em segundo, com 18%, e Marina Silva em terceiro, com 5% das intenções de voto. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não é candidato, foi citado por 3% dos entrevistados. Outros 6% disseram votar nulo ou branco e 34% não sabem em quem votariam.
Na última pesquisa Vox Populi, publicada em 22 de julho, a candidata petista tinha 41%, contra 33% de Serra e 8% de Marina. Outros 4% declararam votar em branco ou anular e 13% estavam indecisos.

Direção do PT barra a participação de Luiz Couto no guia

O deputado federal Luiz Couto (PT) fez um desabafo grave nesta terça-feira (17) no seu twitter. Ele disse que seu programa para o guia eleitoral foi censurado pela direção do PT na Paraíba e que por isso não foi ao ar hoje no rádio e na TV. Couto revelou ainda que vai ingressar com uma ação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), nesta terça, para garantir a veiculação do seu programa no guia.
“Gravei três programas para o Guia Eleitoral, mas a direção do meu partido censurou meus programas, num processo claro de perseguição... O meu programa eleitoral não foi ao ar, hoje, nem mesmo no rádio. Quem quiser, pode ver no meu site: http://www.luizcouto1345.com.br ”, postou o deputado no miniblog Twitter.
Segundo a assessoria do parlamentar, o motivo para terem barrado o guia do petista foi apenas por ele não ter feito a propaganda com o cenário do candidato ao Governo da Paraíba José Maranhão (PMDB). Couto ainda disse que o partido deve respeitar seu posicionamento de não fazer campanha para Ricardo Coutinho (PSB) no guia, mas também de não fazer para José Maranhão.
PolíticaPB

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Prefeita do PT peita direção estadual e anuncia voto em Ricardo Coutinho

A prefeita do município de Pombal, Pollyana Feitosa (PT), não teve cerimônia para divergir publicamente da direção estadual do PT na Paraíba ao declara na noite de sábado (14) voto em Ricardo Couitnho ((PSB) para o Governo do Estado.

O PT está coligado com o PMDB e a maioria dos militantes e praticamente todos os integrantes do diretório estadual votam na reeleição do governador José Maranhão (PMDB).

Apesar da decisão partidária, a prefeita petista do Sertão mantém a disposição de votar nos candidatos da Oposição ao Governo.

"Ricardo é o nosso governador pelo modelo de desenvolvimento que ele implantou em João Pessoa e acredito que é um modelo que ele vai ampliar para toda a Paraíba. Teremos um governo de participação popular, de crescimento econômico e livre da perseguição política", declarou a prefeita durante do comício.

Ibope: Dilma dispara e amplia para 11 pontos a vantagem sobre Serra

A candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff, ampliou a vantagem e poderia ganhar a eleição para presidente da República já no primeiro turno.

Segundo pesquisa Ibope divulgada na noite desta segunda-feira (16) pelo Jornal Nacional, da TV Globo, a candidata petista tem 51% das intenções de votos válidos.
Na simulação de primeiro turno, Dilma recebeu 43% das intenções de voto e está 11 pontos percentuais à frente do adversário José Serra (PSDB), que tem 32%. Já a candidata Marina Silva (PV) continuou com 8% da preferência do eleitorado.
As intenções de voto em Dilma subiram 4 pontos percentuais em relação à última pesquisa Ibope, divulgada no início de agosto, enquanto José Serra perdeu 2 pontos. Naquele levantamento, Dilma tinha 39% das intenções de voto e Serra, 34%.
Num eventual segundo turno, Dilma venceria a eleição com 48% dos votos dos eleitores contra 37% de Serra. O Ibope ouviu 2.506 pessoas entre os dias 12 e 15 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Paraíba apresenta o 5º pior desempenho na conclusão de obras do PAC; confira o ranking

A Paraíba é o quinto estado brasileiro com o pior desempenho na conclusão de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ao todo o Estado recebeu 579 empreendimentos, sendo que apenas 41 foram concluídos, o que representa 7,1% do total das obras. Só apresentam pior desempenho que a Paraíba os Estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia.
Os dados são de um levantamento realizado pelo Contas Abertas, a partir dos relatórios estaduais divulgados pelo comitê gestor do PAC e revelam que apenas 13% das ações previstas para o período 2007-2010 e pós 2010 foram concluídas em todo o Brasil. Das 13.958 ações listadas pelo governo nos três eixos do programa – logístico, energético e social-urbano –, 1.815 foram finalizadas até abril deste ano. Mais de 7.360 empreendimentos (53%) ainda estão no papel, ou seja, nos estágios classificados como “em contratação”, “não contratado”, “ação preparatória” (estudo e/ou licenciamento) e “licitação”. Exatamente 4.775 ações estão em obras, quantidade que representa 34% do total.
As informações do décimo balanço do PAC, que englobam investimentos previstos pela União, empresas estatais, iniciativa privada e contrapartida de estados e municípios, contabilizam mais obras do que o balanço de três anos do programa (nono balanço), realizado no início de junho. Naquela oportunidade, 13.330 era a quantidade de obras, 628 a menos do que agora.
Se excluídas do cálculo as quase 12,7 mil obras de saneamento e habitação, que representam 91% da quantidade física total de projetos listados no PAC, o percentual de ações concluídas, de acordo com os relatórios estaduais, sobe para 41% (530 no total). A metodologia de divulgação dos números usada pela Casa Civil nas cerimônias de balanço oficial exclui as duas áreas desde o primeiro anúncio, apesar de estarem previstas no orçamento do programa, que é de R$ 656,5 bilhões a serem aplicados entre 2007 e 2010.
Ainda excluindo as duas áreas (saneamento e habitação), quase 16% (207 projetos) estão em ação preparatória ou em processo licitatório. Outros 566 (43%) empreendimentos estão em andamento.
Economista diz que principal dificuldade é a burocracia
Para o economista Paulo Brasil, que é vice-presidente do Sindicato dos Economistas do estado de São Paulo, o percentual de ações concluídas traduz, na verdade, uma realidade já constatada. Segundo ele, desde o início, o PAC manteve um ritmo de realização baixo dos projetos.
O economista acredita que as principais dificuldades do programa são excesso de burocracia, “máquina” de recursos de protelação e de bloqueio das licitações - que são utilizadas pelas próprias empresas que participam de licitações - e ineficiência na realização dos processos.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

13 razões para reeleger Luiz Couto O Deputado Federal do PT

1. O Deputado Federal do PT - Apoiou e votou os projetos do presidente Lula, que garantem mais cidadania para milhões de brasileiras e brasileiros, a exemplo do PAC, do Pré-Sal, da Transposição das Águas do Rio São Francisco e do Programa Minha Casa Minha Vida. Vai contribuir com o Governo de Dilma para continuar mudando o Brasil.
 
2. O Deputado Ficha Limpa – Luiz Couto foi o primeiro deputado federal paraibano a assinar o Projeto Ficha Limpa no Congresso Nacional. Político ético, íntegro e coerente, tem se destacado por sua conduta moral e posicionamentos no Plenário da Câmara e em sua trajetória política. É o deputado “Ficha Limpa” da Paraíba.
 
3. Coerência e Ética na Política – Ao lado de milhares de petistas e simpatizantes o deputado federal Luiz Couto quer um projeto de Desenvolvimento Humano para a Paraíba e que o Estado alcance os níveis de crescimento econômico e as conquistas sociais que os demais estados do Nordeste e o Brasil conquistaram.
 
4. Segurança Pública – A Segurança Pública e a Justiça sempre foram prioridades em sua luta por Políticas Públicas de qualidade e contra a impunidade. Defendeu a PEC 300, a implantação de novas Varas da Justiça Federal e mais Delegacias da Polícia Federal no Estado, além das lutas dos Defensores Públicos e dos Oficiais de Justiça.
 
5. Contra a Corrupção - Atua no Congresso Nacional de forma ética e honrada. Desde o seu primeiro mandato, como deputado estadual, Luiz Couto trabalha contra a corrupção e a impunidade. Na Câmara Federal, apresentou uma Emenda Constitucional para criar Varas Especiais na Justiça Federal para julgar crimes de corrupção.
 
6. Combate ao Crime Organizado – Em seus 16 anos de mandato (dois de deputado estadual e dois de federal) sempre denunciou e lutou contra o tráfico de drogas, tráfico de armas, o roubo de cargas e os grupos de extermínio, motivo pelo qual está ameaçado de morte.


7. Combate à Violência e ao Preconceito - Atua no Congresso Nacional de forma ética e honrada. Desde o seu primeiro mandato, como deputado estadual, Luiz Couto trabalha contra a corrupção e a impunidade. Na Câmara Federal, apresentou uma Emenda Constitucional para criar Varas Especiais na Justiça Federal para julgar crimes de corrupção.
 
8. Defesa da Educação - Na apresentação de emendas ao Orçamento da União, Luiz Couto destinou verbas para a expansão e construção de Campus da Universidade Federal e Estadual e do Instituto Federal de Tecnologia em várias cidades do Estado. Conseguiu junto ao Governo Federal a liberação de verbas do ProInfância para a reestruturação e aquisição de equipamentos para a Rede Escolar Pública em João Pessoa
 
9. Defesa dos Trabalhadores - Presente nas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras, Luiz Couto apoiou as manifestações dos Professores, dos Trabalhadores na Construção Civil, dos Concursados do Governo do Estado, dos Funcionários da CAGEPA, dos Agentes Comunitários de Saúde, dos Trabalhadores Sem Terra, dos Agricultores Familiares, dos Eletricitários, dos Vigilantes, entre outras causas.

 
10. Mandato da Cidadania – Atua no parlamento comprometido na defesa das pessoas e de melhor qualidade de vida para todos e todas. Prioriza em suas Emendas ao Orçamento do Governo Federal as verbas para Inclusão Social e Produtiva. Apóia a luta por melhor assistência aos Portadores de Deficiência Física e Mental, defende a Anistia das pessoas perseguidas pela Ditadura Militar e demitidas pelo Governo Collor.
 
11. Mandato Nacional - Luiz Couto é reconhecido nacionalmente e internacionalmente por sua atuação parlamentar e na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Representou a Comissão e o Parlamento em missões em todo o Brasil e junto a órgãos internacionais como OEA, ONU e Parlamento Latino-Americano.
 
12. Participação em Comissões e CPIs – Atualmente é vice-líder do PT na Câmara e membro das Comissões Permanentes: Constituição e Justiça e de Cidadania; Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; Direitos Humanos e Minorias; Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Participação nas CPIs: Desaparecimento de Crianças e Adolescentes; Escutas Telefônicas Clandestinas; Extermínio no Nordeste; Tráfico de Armas; Subnutrição de Crianças Indígenas e Sistema Carcerário.
 
13. Emendas para a Paraíba – A Previdência, a Saúde, a Educação, a Agricultura Familiar e os Direitos Humanos foram as referências do mandato de Luiz Couto para a apresentação de emendas ao Orçamento da União, tendo como prioridade: reforma, compra de ambulâncias e equipamentos para Hospitais, implantação de novas agências da Previdência Social no interior do Estado, aquisição de ônibus escolares e máquinas agrícolas; implantação de Centros de Referência em Direitos Humanos, quadras e ginásios de esportes, casas populares, sistemas de abastecimento de água e cisternas, infra-estrutura turística (pavimentação, praças, passagens molhadas), entre outros benefícios para a população.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

POR QUE NÃO VOTAR EM JOSÉ SERRA

Pelos mesmos motivos que o Brasil não votou em Geraldo Alckmin em 2006. A maioria da população está cansada de viver sob o jugo de uma cartilha feita pelos donos do poder, por uma elite que usa todos os meios possíveis para manter uma ordem antiga, de quinhentos anos, que só a favorece economicamente, em detrimento das camadas populares. E essa elite dominante, que será representada neste ano por José Serra, tem na grande mídia (Rede Globo, Veja e Cia.) sua fiel representante. Sem falar também na força da grana (essa mesma que ergue e destrói coisas belas, da música "Sampa", de Caetano Veloso).
  Essa faixa elitizada da sociedade brasileira (os 10 ou 15 por cento que têm tudo), neste ano vai votar em José Serra, pois a sua política ajudará a manter este quadro (status quo) em que vivemos, que não contribui com a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida de toda a coletividade. Visite as favelas e periferias da sua cidade, veja como vivem os 85 ou 90 por cento da população pobre. O nosso país é rico, mas essa riqueza quase toda fica nas mãos de uma parcela ínfima da sociedade - os ricos, a elite dominante! As pessoas mais velhas precisam comparar os últimos oito anos do atual governo com os anos anteriores. Será mesmo que é a mesma coisa?
  Independentemente de em quem vamos votar, precisamos ter em mente, enquanto coletividade, que a saída para o caos em que vivemos (miséria, fome, analfabetismo, violência etc, etc.) passa necessariamente pela conquista dessas metas:
a) SOBERANIA – será conquistada quando o povo tiver condições de definir seus próprios objetivos, e não mais viver como um grande rebanho atrás do pastor. Zé Ramalho diz na sua música Admirável Gado Novo: "É duro tanto ter que caminhar e dar muito mais do que receber".
b) DESENVOLVIMENTO – acontecerá, não somente no sul maravilha, quando quem estiver no poder mobilizar todos os recursos e toda a capacidade produtiva que temos – terra, instalações etc. – para beneficiar a todos, principalmente os 85 ou 90 por cento que pouco ou nada têm.
c) SUSTENTABILIDADE – vem junto com o desenvolvimento. É quando o ser humano realmente está no centro das preocupações dos governantes – vereadores, prefeitos, deputados, governadores, senadores, ministros e presidente – sempre, e não somente a cada quatro anos, como acontece a tantos anos neste país, fruto de uma democracia delegativa e incompleta, onde o que decide as eleições é o voto comprado.
d) DEMOCRACIA AVANÇADA – teremos quando for feita uma profunda reforma das instituições de poder, bem como dos meios de comunicação de massa, que estão nas mãos da elite, e colocá-los a serviço do povo, da coletividade.
  Sem atentar para as conquistas destas metas, o Brasil não vai continuar avançando. Do jeito que está, a reforma durará décadas. Até lá, o número de indigentes, marginalizados e desempregados só irá aumentar.
  Lula, ao longo desses oito anos, vem representando algumas dessas mudanças, alguns avanços necessários que o Brasil tanto precisa. Só não conseguiu avançar mais, por culpa da elite mesquinha, atrasada, antinacional e hipócrita que temos nesse País! Lula já ganhou de Serra. Em 2010 ele escolheu Dilma para disputar com o Serra, que é forte, porque vem com a grana da São Paulo multinacional. Qual será o discurso dos tucanos? Ou eles continuarão sem discurso algum também em 2010? Eles estão sem discurso desde o fracasso da era FHC!
  O grande e saudoso Renato Russo questiona numa música de vinte anos atrás: "Que país é este?" Nós precisamos, enquanto povo, continuar tentando responder a esta pergunta!

Fonte Márcio Melo, professor de História, Sociologia e Filosofia, formador de opinião e cidadão que paga todos os impostos em dia; mais um otimista incorrigível e também teimoso, por continuar gostando e achando que a política é a chave para a maioria das mudanças).

Ministério da Saúde rebate mentiras de Serra no Jornal Nacional

Leia abaixo esclarecimento divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Ministério da Saúde, a respeito das inverdades ditas pelo candidato tucano José Serra durante entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, ontem à noite:
Em relação a declarações feitas pelo presidenciável José Serra, na noite desta quarta-feira (11), a respeito da realização de cirurgias eletivas, mutirões, prevenção de doenças e saúde da mulher na atual gestão, o Ministério da Saúde esclarece:
1) Não é verdade que houve redução no número de cirurgias eletivas. Os mutirões foram incluídos na Política Nacional de Cirurgias Eletivas, criada em 2004. Essa política incorporou aos quatro procedimentos que eram realizados até então (catarata, próstata, varizes e retinopatia diabética) outros 86 procedimentos, totalizando 90 tipos de cirurgias eletivas.
2) Com a ampliação, o número de cirurgias eletivas realizadas, considerando esses 90 tipos de procedimentos, passou de 1,5 milhão, em 2002, para 2 milhões, em 2009.
3) Em 2009, a quantidade de cirurgias de catarata, por exemplo, foi maior que em 2002, tido como o ano auge dos mutirões. Naquele ano, foram 309.981. Em 2009, o SUS realizou 319.796 cirurgias. E, no decorrer de sete anos (de 2003 até 2009), a quantidade de cirurgias de catarata chegou a 1,9 milhão de procedimentos;
4) Também é incorreto dizer que a prevenção de doenças “ficou para trás”, como afirmou o candidato. Houve avanços inegáveis nesta área, como alguns exemplos a seguir: o Brasil interrompeu a transmissão do cólera (2005) e da rubéola (2009); a transmissão vetorial de Chagas, em 2006; e eliminou o sarampo, em 2007. Estamos próximos da eliminação do tétano e foram reduzidos as mortes em outras 11 doenças transmissíveis, como tuberculose, hanseníase, malária e Aids. O país realizou as duas maiores campanhas de vacinação do país e do mundo: a de rubéola, em 2008, e a contra a gripe H1N1, neste ano;
5) Ainda, em programas estruturantes de prevenção, a cobertura populacional do Saúde da Família cresceu 61% em todo o país – o número de equipes saltou de 19.068 (em 2003) para 30.782 (até março deste ano). Entre suas principais tarefas estão a promoção da saúde e prevenção de doenças. As equipes podem resolver até 80% dos agravos de saúde da população;
6) Em relação à saúde da mulher, para a qual o candidato afirma que há problemas, o Ministério da Saúde informa que a gravidez na adolescência caiu 20% entre 2003 e 2009, e o investimento no planejamento familiar aumentou 605%, totalizando R$ 72,2 milhões, em 2009, para a compra de pílulas e outros contraceptivos. Houve um aumento de 125% nas consultas pré-natal (total de 19,4 milhões em 2009). Na prevenção, o suplemento de saúde da PNAD 2008, feita pelo IBGE, apontou que a proporção de mulheres de 50 a 69 anos que se submetem a mamografia passou de 54,8% em 2003 para 71,5%, em 2008.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

20 perguntas que o JN não vai fazer ao Serra.

O Jornal Nacional entrevistará na próxima quarta-feira o candidato José Serra, está é a grande oportunidade para a rede Globo, que se diz a mais popular, de tirar algumas dúvidas da cabeça da população, afinal William Bonner e Fátima Bernardes têm compromisso com a verdade, ou isso já não vale mais?
>>>>
São várias perguntas que todos querem saber as respostas de Serra, como porque fechou as comportas do Rio Tietê evitando que regiões mais nobres fossem alagadas e que acabou inundando bairros populares.
Porque inventa que cria programas e ideias de outros e saí pelos quatro cantos do país a dizer que são suas.
>>>>
Por que semana sim a outra também maltrata e agride entrevistadores e jornalistas que lhe perguntam o que todos nós só queremos saber as respostas que Serra tem para essas 20 perguntas que o casal 20 não deverá fazer:
>>>>
1. Como é a sociedade da sua filha Verônica Serra com a filha do Daniel Dantas?
2. Que tabela de custo Serra usou para tornar os pedágios mais caros do país?
3. Quantas vezes o Serra bateu o martelo para privatizar estatais lucrativas?
4. Qual parede de sua casa está pendurado o quadro com o diploma de economista?
5. O Serra sabe quantas famílias ainda estão sem casa no caso do buraco do Metrô?
6. Porque os tucanos nos 15 anos de governo em São Paulo não enfrentaram o PCC?
7. Se quando ele era jovem e aluno do ginásio achava certo bater em professor?
8. Qual é o lucro de aplicar os recursos da saúde no mercado financeiro?
9. O que Serra pensava da UDN quando foi presidente da UNE?
10. Porque agora vive ao lado e acredita no DEM a nova UDN?
11. Porque ele não gosta do Alckmin e prefere o Kassab?
12. É verdade que o FHC é um pai para o Serra?
13. Serra acha que mineiro é tonto e não percebeu o que fez com Aécio?
14. Porque ninguém quer colocar sua foto no material de campanha no país inteiro?
15. Porque parou de falar que o programa de distribuição de renda é o Bolsa Esmola?
16. Em nome de quem está a mansão que mora e não está na declaração de renda?
17. Porque não gosta de nordestino, e se não gosta de nortista também?
18. Serra parou de falar que criou o FAT, os genéricos e o seguro desemprego?
19. Se o Serra continua a achar que filho de pobre pode estudar sem o ProUni?
20. Não tinha um vice melhor do que o que teve de engolir?
>>>
Vamos aguardar quem sabe a direção da Globo tente disfarçar que não é aliada do Serra, o programa poderia ser exibido em um telão instalado no terreno ao lado do prédio da Globo em São Paulo que usaram por 12 anos sem pagar nada, ou seja, invadiram a área pública com permissão dos tucanos.
>>>
Em tempo: "O JN acertou: Dilma é forte e tem apoio de Lula".
>>>>
Fonte: Blog do Celso Jardim.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Dilma dispara e abre dez pontos de vantagem sobre Serra, mostra CNT/Sensus

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disparou na liderança da disputa presidencial e abriu 10 pontos de vantagem sobre José Serra (PSDB), segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta quinta-feira (5).
O levantamento mostra Dilma com 41,6% e o tucano com 31,6%, na entrevista estimulada. Marina Silva aparece em terceiro lugar, com 8,5% das intenções de voto. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.
Na pesquisa espontânea, 30,4% dos eleitores disseram que vão votar em Dilma, 20,2% escolheram Serra e 5%, Marina.
Dilma também um eventual segundo turno, nesse caso com 12 pontos à frente: 48,3% a 36,6%. Segundo a pesquisa, a maioria do eleitorado (47,1%) acredita na vitória de Dilma, cerca de 30% na de Serra e apenas 2,2% na de Marina.
Quase 11% dos eleitores ainda não sabem em quem votar e 3,4% declararam que vão votar em branco ou nulo.
Na última pesquisa CNT/Sensus, divulgada em maio, Dilma aparecia com 35,7% das intenções de voto, contra 33,2% de Serra e 7,3% de Marina.
A sondagem foi feita pelo instituto Sensus a pedido da CNT (Confederação Nacional dos Transportes). Foram ouvidos 2.000 eleitores do dia 31 de julho ao dia 2 de agosto. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no dia 29 de julho com o número 21411/2010.

Luiz Couto é o deputado mais presente nas sessões; Marcondes Gadelha é campeão em faltas

Com apenas uma falta, o deputado Luiz Couto (PT) é o parlamentar paraibano mais presente na Câmara Federal. Ele participou de 58 das 59 sessões realizadas na Casa e aparece com um aproveitamento de 98,3%. A única falta de Luiz Couto foi justificada na Casa.
Em segundo lugar no ranking dos mais assíduos está Major Fábio (DEM), com 5 ausências, o que representa 8,5% de faltas. O parlamentar deixou de justificar 3 faltas (5,1%) e deu justificativa para as outras duas (3,4%).
Entre os cinco paraibanos que menos faltaram às sessões da Câmara Federal estão também Damião Feliciano (PDT), com 14 faltas; Rômulo Gouveia (PSDB), com 11; e, Armando Abílio (PTB), com 8 faltas.
Entre os mais faltosos o deputado Marcondes Gadelha (PSC), mais uma vez é o primeiro no ranking. O parlamentar está empatado com Wilson Braga na relação dos paraibanos que mais faltaram às sessões realizadas no primeiro semestre de 2010, de acordo com levantamento feito pelo site Congresso em Foco.
Marcondes Gadelha faltou a quase metade (42,4%) das sessões ocorridas na Câmara. O deputado federal esteve ausente em 25 das 59 sessões realizadas no primeiro semestre do ano, sendo que 14 (23,7%) dessas faltas não foram justificadas e 11 (18,6%) foram justificadas.
Empatado com Marcondes Gadelha no ranking dos paraibanos mais faltosos está o deputado federal Wilson Braga (PMDB) que também faltou 25 vezes. A diferença entre os dois parlamentares é que Braga deixou de justificar 3 faltas, ou seja, 5,1%. As outras 22 ausências, 37,3%, tiveram justificativas.
Em segundo lugar no ranking dos deputados federais paraibanos mais ausentes nas sessões do primeiro semestre está Vital do Rego Filho (PMDB) que faltou a 23 das 59 sessões, ou seja, ele faltou a 39% das sessões. Dessas faltas, 4 não foram justificadas (6,8%) e 19 tiveram justificativas (32,2%).
Wilson Santiago (PMDB) desponta na 3ª colocação com 21 faltas, o que representa 35,6% do total de sessões realizadas. O parlamentar justificou todas as ausências no plenário da Câmara nesse primeiro semestre do ano.
Com 19 faltas, ou seja, 32,2% de ausência, o deputado Wellington Roberto (PR) figura em 4º lugar no ranking dos menos assíduos. O parlamentar deixou de justificar 3 ausências (5,1%) e justificou 16 faltas (27,1%).
Manoel Júnior (PMDB) aparece logo em seguida com 18 faltas, o que representa 30,5%. Ele justificou todas as ausências na Câmara.
Na 6ª colocação no ranking dos mais faltosos aparece o deputado Efraim Filho (DEM), com 17 faltas (28,8%), sendo que todas foram justificadas.

CNT/Sensus: Governo Lula bate novo recorde de aprovação popular

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva bateu novo recorde de aprovação, segundo a 102ª pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta quinta-feira (5). A avaliação positiva chegou a 77,5%, a maior da série histórica desde julho de 2005. Em maio, o índice foi de 76,1%.
O presidente Lula obteve 80,5% de aprovação. O melhor resultado de Lula apareceu na pesquisa divulgada em janeiro de 2009, quando 84% dos entrevistados afirmaram que aprovavam o presidente.
De acordo com a pesquisa, Lula só recebe avaliação negativa de 14,4% dos pesquisados, enquanto 4,6% dos entrevistados

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Programa de governo de Dilma dará atenção especial às mães e crianças

A candidata da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, Dilma Rousseff, visitou hoje (4)  uma das unidades da Rede Sarah de Hospitais, em Brasília, e detalhou parte do seu programa de governo para a área da saúde. A petista revelou que dará atenção especial para as gestantes, as mães e as crianças.

“Estamos fechando esses pontos [do programa sobre saúde] e, por isso, vim aqui hoje. O Sarah é uma referência na qualidade de atendimento e em relação à qualidade que eles são capazes de imprimir na gestão. E acho que tem também uma característica no Sarah que é excepcional, que a relação humana que eles têm com os pacientes. Então, como estou fazendo essa fase final do meu programa de governo e estamos vendo o Sarah como uma referência na área dele. Mas, também estou interessada em questões relativas a centros de referência para prevenção do câncer e no tratamento da mãe e da criança”, comentou.

Os dados completos das propostas para saúde serão divulgados na próxima semana, segundo Dilma, e estão em fase de discussão final com os demais partidos da coalizão. Contudo, a candidata antecipou algumas iniciativas, como a criação de uma rede de atendimento especializada para as mães e os recém nascidos até um ano de vida. Ela disse que será a Rede Cegonha.

“Eu acho que algumas questões vão ter que ser tratadas especialmente, é o caso da mãe e do bebê, o que nós vamos chamar Rede Cegonha”, revelou Dilma. Outro ponto antecipado foi a especialização de algumas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o atendimento de gestantes e recém nascidos.

A candidata voltou a defender o fortalecimento e ampliação do Sistema Único de Saúde (SUS), criando mais Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e as clínicas especializadas em algumas áreas, como o tratamento do câncer.

No hospital, Dilma visitou a ala de atendimento infantil, que atende cerca de 60 menores de zero a 16 anos. Ela estava acompanhada do deputado Antônio Palocci, membro da coordenação da campanha, e da primeira-dama Marisa Letícia.

Mensagem de Luiz Couto aos Paraibanos.

“Em minha trajetória política tenho me dedicado às ações voltadas ao fortalecimento das políticas públicas que transformam a vida das pessoas, em especial a vida dos paraibanos. Os Direitos Humanos, a Educação, a Saúde, a Agricultura, a Previdência Social, a Segurança Pública, a Moradia e o combate ao Crime Organizado e a Corrupção são algumas das preocupações e lutas que tenho defendido como Deputado Federal. Conto com o seu apoio para continuar trabalhando por uma Paraíba mais desenvolvida e com qualidade de vida, a exemplo do que Lula fez e Dilma continuará fazendo pelo Brasil”.
>>>Luiz Couto – Deputado Federal - 1345

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Dilma participa de primeiro debate na televisão

A série de debates televisivos começa, na próxima quinta-feira, na TV Bandeirantes, às 22 h. Sua participação é muito importante. A pergunta de abertura do debate entre os principais candidatos à Presidência será elaborada a partir dos temas que mais preocupam os internautas do portal eBand. Você pode escolher um tema do seu interesse ou, se preferir, sugerir um novo tema: clique aqui.
Quatro candidatos participam do encontro que ocorre na sede do Grupo Bandeirantes de Comunicação, em São Paulo, e será transmitido ao vivo para todo o país: Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (Psol).

A ampliação do tempo destinado aos candidatos no debate é uma das principais novidades. Em relação ao debate de 2006, neste ano haverá uma rodada a mais de perguntas de “candidato para candidato”.